Pular para o conteúdo principal

Escuta X Espiritualidade


Blogagem Coletiva VIII - Espiritual-Idade - Blog da Rosélia

Saber ouvir é saber silenciar-se para ajudar o outro a dizer aquilo que ele precisa colocar para fora. É saber dar atenção ao outro que busca em Deus forças para ser uma pessoa autêntica. Mas saber ouvir é silenciar interior e exteriormente para ouvir a Deus que nos ensina o melhor caminho a trilhar. Esta semana estou em retiro espiritual aqui em Itaicí-SP. É um momento doloroso de calar, silenciar até o último suspiro para ouvir os suspiros de Deus, que para mim vêm por sensações, moções que posso sentir e contemplar junto com a natureza, com as pessoas, com as situações que vivo. O mundo é ruidoso, não nos dá oportunidade de silenciar, tampouco de escutar. No barulho ouvimos sempre alguma coisa distorcida, não compreendemos bem as coisas, por isso, às vezes gritamos com nosso interlocutor porque não compreendemos o que ele disse, por estarmos envoltos nos ruídos que nos cercam. Com Deus não precisamos gritar, mas se não aprendermos a escutá-lo da forma que Ele se manifesta, não vamos adiante, podemos até gritar, Ele nos ouvirá, mas nós não teremos retorno, não porque Ele não o faz, mas porque não sabemos como fazer isso bem. Queremos um Deus útil, que satisfaz nossas necessidades, nosso Deus não é assim. Neste sentido podemos fazer uma teologia apofática, dizer o que Ele não é. Mas podemos por outro lado dar ênfase naquilo que já sabemos que é, e Deus se resume em uma única palavra, AMOR. Na primeira carta de São João 4, 8, encontramos esta verdade. E o amor não nos exclui, não nos abandona e não deixa de ouvir-nos. Somos nós instrumentos que necessitam de uma afinação diária para tocar na nota certa, uma nota que possa ser ouvida universalmente, uma nota LÁ é a mesma em toda parte do mundo, música é matemática. Escutar é a matemática que nos leva a uma vida melhor. Quem sabe escutar, além de errar menos, vive muito melhor. E o que fazer com o que escutamos? Discernir. Santo Inácio de Loyola nos ensina que antes de qualquer decisão ou discernimento é preciso um silêncio absoluto, porque assim podemos certamente saber se o que escutamos vem de Deus ou de algum espírito que nos desorienta e nos leva por outros caminhos que não os de Deus.
A espiritualidade da escuta é simplesmente saber deixar que os nossos sentidos se calem, não para ficarem inertes e inoperantes, mas é um calar para uma afinação teleológica, com uma finalidade de agir melhor de forma mais simples dentro de nós mesmos e no mundo.

Comentários

  1. Olá, amado de Deus e nosso
    A cada Domingo vc se supera e nos encanta com tantg docilidade ao sopro de Deus que nos repercute e impulsiona para o bem maior...
    Vc participar da nossa BLOGAGEM COLETIVA ESPIRITUAL ECUMÊNCIA é motivo para mim de ficar envolvida com o Místico a cada semana.
    Bjs e uma grande possibilidade de que a Voz Divina lhe seja favorável em seu Retiro.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tiago
    Belo texto, a vida é gestada no silêncio, toda e qualquer experiência mística também parte desse pressuposto: Deus gestado no coração. Tudo de concreto que se busca, especialmente o amor, é adquirido dessa forma. Em nosso interior existe uma pré-disposição para escutar ao Senhor. Nesse aposento secreto, apontado pelos grandes místicos, se encontra o código original de imagem e semelhança de Deus, é aonde Deus deixou a sua marca definitiva.
    É essa marca que Deus vai reencontrar no céu, porque nós não a perdemos nunca.
    Rezo que sua busca pelo seu aperfeiçoamento alimente a certeza de que você é muito amado por Deus! Um forte abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Popular Posts

Questões de prova sobre: As desigualdades sociais

01 - (UEL – 2003) Observe os quadrinhos: (QUINO. Toda Mafalda . São Paulo: Martins Fontes, 1992). Os quadrinhos ilustram uma forma comum de explicar a pobreza e as desigualdades sociais. Assinale a alternativa que apresenta pressupostos utilizados pela teoria liberal clássica para compreender a existência da pobreza e que foram também assumidos pela personagem Susanita em suas falas. a) As desigualdades sociais podem ser compreendidas através da análise das relações de dominação entre classes, que determinam o sucesso ou o fracasso dos indivíduos. b) A existência da pobreza pode ser compreendida a partir do estudo das relações de produção resultantes da exploração de uma classe sobre a outra. c) A divisão em classes sociais no capitalismo está baseada na liberdade de concorrência; assim, a pobreza decorre das qualidades e das escolhas individuais. d) O empobrecimento de alguns setores sociais no capitalismo decorre da apropriação

Questões de filosofia com gabarito

QUESTÕES DE FILOSOFIA – COM GABARITO   EPICURO 01) Alguns dos desejos são naturais e necessários; outros, naturais e não necessários; outros, nem naturais nem necessários, mas nascidos de vã opinião. Os desejos que não nos trazem dor se não satisfeitos não são necessários, mas o seu impulso pode ser facilmente desfeito, quando é difícil obter sua satisfação ou parecem geradores de dano.(EPICURO DE SAMOS. “Doutrinas principais”. In : SANSON, V. F. Textos de filosofia. Rio de Janeiro: Eduff, 1974). No fragmento da obra filosófica de Epicuro, o homem tem como fim:   a) Alcançar o prazer moderado e a felicidade. b) Valorizar os deveres e as obrigações sociais. c) Aceitar o sofrimento e o rigorismo da vida com resignação d) Refletir sobre os valores e as normas dadas pela divindade. 02) Leia o trecho da Carta a Meneceu:"Nenhum jovem deve demorar a filosofar, e nenhum velho deve parar de filosofar, pois nunca é cedo demais nem tarde demais para a saúde da alma. Afirmar que

01 - Mito e Filosofia (Questões com gabarito)

Quando pensamos na transição entre o mito e a filosofia salientamos que mesmo a filosofia nascente trazendo uma proposta mais racional em relação à toda explicação mítica, ela ainda apresentava "vínculos" com a antiga forma de conceber o universo, principalmente se tomamos como exemplo os jônios e todo o pensamento que busca na natureza e seus elementos aquilo que seria o princípio universal de todas as coisas. Enquanto o mito não se importava com as contradições e contos fabulosos, a filosofia organiza seu percurso através da lógica e do uso da razão. Mas não nos enganemos com essa simples colocação, pois há uma ruptura perceptível entre ambas. Enquanto o mito é envolto de crenças inquestionáveis, a filosofia nasce do próprio rechaço às explicações inquestionáveis e promove uma problematização de tudo. Ela rejeita o sobrenatural e a interferência dos deuses na explicação dos fenômenos naturais. Ela busca ao contrário do mito definir os conceitos e se organizar como um

Questões sobre Filosofia Estética com Gabarito

01) “Um quadro não é pensado ou fixado de antemão. Enquanto o produzimos ele segue a modalidade do pensamento. Depois de terminado ele continua a mudar, conforme o estado daquele que contempla. Um quadro segue sua vida como um ser vivo, sofre as mudanças que a vida cotidiana nos impõe. Isto é natural, já que um quadro só vive graças àquele que o contempla.”   Pablo Picasso. Este fragmento do pensamento de Pablo Picasso significa: a) O quadro é um ser vivo e é independente do artista, assume forma independente e é altamente abstrato em relação à realidade sensível. b) O quadro é apenas o resultado do pensamento do artista que expressa a sua imaginação em um pedaço qualquer de superfície que permita a expressão máxima do artista. c) Um quadro, por mais que tenha a intencionalidade de um artista por de trás de sua criação, sempre se manterá vivo mesmo que um artista já o tenha terminado. Isso só é possível porque quem o contempla terá sempre a chance de fazer uma nova interpr

Postagens mais visitadas deste blog

Questões sobre Filosofia Estética com Gabarito

01) “Um quadro não é pensado ou fixado de antemão. Enquanto o produzimos ele segue a modalidade do pensamento. Depois de terminado ele continua a mudar, conforme o estado daquele que contempla. Um quadro segue sua vida como um ser vivo, sofre as mudanças que a vida cotidiana nos impõe. Isto é natural, já que um quadro só vive graças àquele que o contempla.”   Pablo Picasso. Este fragmento do pensamento de Pablo Picasso significa: a) O quadro é um ser vivo e é independente do artista, assume forma independente e é altamente abstrato em relação à realidade sensível. b) O quadro é apenas o resultado do pensamento do artista que expressa a sua imaginação em um pedaço qualquer de superfície que permita a expressão máxima do artista. c) Um quadro, por mais que tenha a intencionalidade de um artista por de trás de sua criação, sempre se manterá vivo mesmo que um artista já o tenha terminado. Isso só é possível porque quem o contempla terá sempre a chance de fazer uma nova interpr

Questões sobre Filosofia Política

Questões sobre Filosofia Política Livro: Fundamentos de Filosofia (Gilberto Cotrim) 1) Sintetize e compare os conceitos antigo e moderno de política. Resposta: Na concepção clássica grega o conceito de política refere-se à arte de governar a polis, ligada ao bem comum e à ética. Enquanto que na modernidade, o conceito passou a ser estritamente ligado ao poder, ou seja, a métodos de se conseguir algo. Sendo assim, a questão ética , que está implícita na ideia de bem comum é colocada em segundo plano ou totalmente abandonada. 2) Poder é a posse dos meios que levam à produção de efeitos desejados. Explique essa afirmação. Resposta: A afirmação quer dizer que “poder” é a capacidade de alcançar algum objetivo, utilizando artifícios como os econômicos. Poder vem do latim potere, posse “poder, ser capaz de”. Refere-se fundamentalmente à faculdade, capacidade, recursos para produzir certos efeitos, segundo o filosofo inglês Bertrand Russell poder é a capacidade de fazer c

Questões de prova sobre Ética e Moral - Prova I - Com Gabarito

01) "Moral (mos, moris, "costume"): conjunto de normas livres e conscientemente adotadas que visam a organizar as relações das pessoas na sociedade, tendo em vista o bem e o mal; conjunto dos costumes e valores de uma sociedade, com caráter normativo (regras do comportamento das pessoas em grupo)". (ARANHA, Maria L. de Arruda. Filosofando: Introdução à filosofia. 3.ed. São Paulo: Moderna, 2003). Sobre a moral, é CORRETO afirmar que:  a) O estudo da moral deixa de ser uma questão de cunho filosófico passando a ser objeto de estudo da teologia. b) A moral não estabelece regras para a vivência em sociedade. c) A moral se reduz a um conjunto de normas, regras e valores que são adquiridas através da herança e recebidas pela tradição. d) Através da reflexão crítica, o sujeito tende a colocar a moral e os valores vigentes em questão, questionando-os e criticando-os. e) Todas as alternativas acima estão erradas 02) A teoria Ética de Kant e Stuart Mill