Pular para o conteúdo principal

Estamos em greve, mas vai aula normal?



Estamos em greve, mas vai aula normal?
Prof. Tiago Eurico de Lacerda

Esta foi a pergunta que eu mais ouvi desde que as greves começaram. Os alunos curiosos pelo movimento de greve não paravam de me perguntar: “mas terá aula normal?”. Bom eu cansei de dizer que não teria aula no colégio, em nenhum colégio, mas muitos professores não aderiram à greve e foram “dar aula”, mas e agora? Se os alunos estão vendo seus professores no colégio e outros nas ruas, quem está certo? Essa foi outra pergunta que me tirou a paz e que me fez desabafar neste texto sobre sua possível resposta.
Mas antes de responder tal pergunta eu gostaria de fazer uma pequena reflexão. Vamos pensar em um médico que trabalha em algum posto de saúde. Ele geralmente trabalha “normalmente” quando as circunstâncias o permitem. Mas quando não há o mínimo para o atendimento ao paciente, não há sequer uma gaze para um curativo, não há como dizer que trabalhou “normalmente”. Esse médico uma hora vai parar o seu trabalho e exigir dos responsáveis o mínimo sobre a estrutura do seu local de trabalho para continuar. E se ele parar vai ouvir reclamações, mas as pessoas não estão vendo que não é a vontade dele parar, elas querem ver o médico lá, mesmo que não faça nada. Há médico no posto de saúde! Mas a presença dele naquele instante sem recursos mínimos é inoperante. Então não teremos atendimento “normal”. Imagina um dentista sem materiais adequados ou sem energia elétrica? Como fazer com os pacientes que estão esperando?
Mas quando falamos do professor achamos que ele deve mesmo diante das adversidades continuar seu trabalho porque escolheu a profissão por amor. O médico e o dentista não escolheram por amor? E o amor pagará nossas contas? E a dignidade de cada profissão? Por isso agora pretendo responder a pergunta acima: teremos aula normal? Teremos professor no colégio ou aula normal, digo isso em analogia ao médico no posto de saúde.
Bom, há muito tempo não temos aula normal! Há muito tempo entra governo e sai governo e a educação é a primeira a ser atacada. Há muito tempo escolas menores funcionam com o mínimo de funcionários e estes poucos precisam dar conta de tudo. Há muito tempo lutamos com instalações precárias em algumas escolas e que os professores precisam ignorar tudo isso porque está ali para dar a sua aula com amor etc.
Mas eu sou professor! Eu não estou ali para dar uma aula com amor. Eu tenho amor no que eu faço e no que escolhi como vocação, ou fui escolhido, não sei. Mas eu vendo cada aula minha para as escolas que me contratam, e vendo o melhor produto possível para que os meus alunos tenham qualidade na formação deles e que isso reflita um dia na escolha de suas profissões. Quando eu digo que não haverá aula normal estou dizendo que nos falta o mínimo para continuarmos nosso trabalho nas escolas, falta recebermos o que é direito nosso. Ninguém está mendigando um salário maior, queremos o que é justo, o que é relativo ao que estudamos, o que valoriza nossa presença nas escolas. Lutamos contra a mercantilização da educação pública. Não somos massa de manobra para nenhuma ideologização dentro da escola. Não podemos nos render às ameaças de governo ou às ameaças do mercado.
Não haverá aula normal! Falta educação por parte de muitos alunos para que a aula seja normal. Falta compreensão e humanização de muitos colegas de trabalhos para que as aulas sejam normais. Sofremos pela falta e nem sabemos mais como é viver sem ela, nos acostumamos a não ter o mínimo e achamos isso ótimo! Professores que não aderem às greves e não lutam pelos seus direitos, isso é aceitável, ou melhor, compreensível. Mas professores que colocam seus alunos contra os professores que estão em luta? Isso é deplorável. Isso mostra que a educação não pode vir de todos. Alguns estão em lugares errados, não deveriam trabalhar com gente. Porque trabalhar com gente, com alunos, com pessoas envolve nossa humanidade, isso falta em alguns.
E a humanidade por parte do governo? Bom, isso não se conhece mais. Colocam mais de 40 alunos dentro de uma sala de aula para que um professor em 50 minutos possa trabalhar os conteúdos do currículo. Um bom professor, se tiver sorte numa sala lotada terá uns 30 minutos ou menos de aula. E outra, o professor não pode adoecer. É tratado como um traidor, ou coisa pior, no mínimo é um vagabundo. Então mesmo estando mal enfrenta seus quase 400 alunos por dia, se tiver dois períodos de aula e que se dane sua saúde ou problemas pessoas. Nos tratam como máquina!
E por que você não procura outra profissão então? Termino com essa pergunta que de tão comum, se torna banal e leva muitas vocações a procurarem outra coisa para fazer. Quem perde são os alunos, as famílias, as escolas, quem perde sou eu professor em não ter como colega alguém que ama o que faz e sabe fazer com maestria o que estudou. Mas como todo ser humano esse professor que desiste, talvez porque adoeceu, é ignorado por muitos e doença é coisa séria, mas isso já seria assunto para um outro texto. Então: vai ter aula normal? Você acha que dá para ter aula normal?

Comentários

Popular Posts

Questões de filosofia com gabarito

QUESTÕES DE FILOSOFIA – COM GABARITO   EPICURO 01) Alguns dos desejos são naturais e necessários; outros, naturais e não necessários; outros, nem naturais nem necessários, mas nascidos de vã opinião. Os desejos que não nos trazem dor se não satisfeitos não são necessários, mas o seu impulso pode ser facilmente desfeito, quando é difícil obter sua satisfação ou parecem geradores de dano.(EPICURO DE SAMOS. “Doutrinas principais”. In : SANSON, V. F. Textos de filosofia. Rio de Janeiro: Eduff, 1974). No fragmento da obra filosófica de Epicuro, o homem tem como fim:   a) Alcançar o prazer moderado e a felicidade. b) Valorizar os deveres e as obrigações sociais. c) Aceitar o sofrimento e o rigorismo da vida com resignação d) Refletir sobre os valores e as normas dadas pela divindade. 02) Leia o trecho da Carta a Meneceu:"Nenhum jovem deve demorar a filosofar, e nenhum velho deve parar de filosofar, pois nunca é cedo demais nem tarde demais para a saúde da alma. Afirmar que

Questões de prova sobre Ética e Moral - Prova I - Com Gabarito

01) "Moral (mos, moris, "costume"): conjunto de normas livres e conscientemente adotadas que visam a organizar as relações das pessoas na sociedade, tendo em vista o bem e o mal; conjunto dos costumes e valores de uma sociedade, com caráter normativo (regras do comportamento das pessoas em grupo)". (ARANHA, Maria L. de Arruda. Filosofando: Introdução à filosofia. 3.ed. São Paulo: Moderna, 2003). Sobre a moral, é CORRETO afirmar que:  a) O estudo da moral deixa de ser uma questão de cunho filosófico passando a ser objeto de estudo da teologia. b) A moral não estabelece regras para a vivência em sociedade. c) A moral se reduz a um conjunto de normas, regras e valores que são adquiridas através da herança e recebidas pela tradição. d) Através da reflexão crítica, o sujeito tende a colocar a moral e os valores vigentes em questão, questionando-os e criticando-os. e) Todas as alternativas acima estão erradas 02) A teoria Ética de Kant e Stuart Mill

Questões sobre Filosofia Política

Questões sobre Filosofia Política Livro: Fundamentos de Filosofia (Gilberto Cotrim) 1) Sintetize e compare os conceitos antigo e moderno de política. Resposta: Na concepção clássica grega o conceito de política refere-se à arte de governar a polis, ligada ao bem comum e à ética. Enquanto que na modernidade, o conceito passou a ser estritamente ligado ao poder, ou seja, a métodos de se conseguir algo. Sendo assim, a questão ética , que está implícita na ideia de bem comum é colocada em segundo plano ou totalmente abandonada. 2) Poder é a posse dos meios que levam à produção de efeitos desejados. Explique essa afirmação. Resposta: A afirmação quer dizer que “poder” é a capacidade de alcançar algum objetivo, utilizando artifícios como os econômicos. Poder vem do latim potere, posse “poder, ser capaz de”. Refere-se fundamentalmente à faculdade, capacidade, recursos para produzir certos efeitos, segundo o filosofo inglês Bertrand Russell poder é a capacidade de fazer c

01 - Mito e Filosofia (Questões com gabarito)

Quando pensamos na transição entre o mito e a filosofia salientamos que mesmo a filosofia nascente trazendo uma proposta mais racional em relação à toda explicação mítica, ela ainda apresentava "vínculos" com a antiga forma de conceber o universo, principalmente se tomamos como exemplo os jônios e todo o pensamento que busca na natureza e seus elementos aquilo que seria o princípio universal de todas as coisas. Enquanto o mito não se importava com as contradições e contos fabulosos, a filosofia organiza seu percurso através da lógica e do uso da razão. Mas não nos enganemos com essa simples colocação, pois há uma ruptura perceptível entre ambas. Enquanto o mito é envolto de crenças inquestionáveis, a filosofia nasce do próprio rechaço às explicações inquestionáveis e promove uma problematização de tudo. Ela rejeita o sobrenatural e a interferência dos deuses na explicação dos fenômenos naturais. Ela busca ao contrário do mito definir os conceitos e se organizar como um

Postagens mais visitadas deste blog

Questões sobre Filosofia Estética com Gabarito

01) “Um quadro não é pensado ou fixado de antemão. Enquanto o produzimos ele segue a modalidade do pensamento. Depois de terminado ele continua a mudar, conforme o estado daquele que contempla. Um quadro segue sua vida como um ser vivo, sofre as mudanças que a vida cotidiana nos impõe. Isto é natural, já que um quadro só vive graças àquele que o contempla.”   Pablo Picasso. Este fragmento do pensamento de Pablo Picasso significa: a) O quadro é um ser vivo e é independente do artista, assume forma independente e é altamente abstrato em relação à realidade sensível. b) O quadro é apenas o resultado do pensamento do artista que expressa a sua imaginação em um pedaço qualquer de superfície que permita a expressão máxima do artista. c) Um quadro, por mais que tenha a intencionalidade de um artista por de trás de sua criação, sempre se manterá vivo mesmo que um artista já o tenha terminado. Isso só é possível porque quem o contempla terá sempre a chance de fazer uma nova interpr

Questões sobre Filosofia Política

Questões sobre Filosofia Política Livro: Fundamentos de Filosofia (Gilberto Cotrim) 1) Sintetize e compare os conceitos antigo e moderno de política. Resposta: Na concepção clássica grega o conceito de política refere-se à arte de governar a polis, ligada ao bem comum e à ética. Enquanto que na modernidade, o conceito passou a ser estritamente ligado ao poder, ou seja, a métodos de se conseguir algo. Sendo assim, a questão ética , que está implícita na ideia de bem comum é colocada em segundo plano ou totalmente abandonada. 2) Poder é a posse dos meios que levam à produção de efeitos desejados. Explique essa afirmação. Resposta: A afirmação quer dizer que “poder” é a capacidade de alcançar algum objetivo, utilizando artifícios como os econômicos. Poder vem do latim potere, posse “poder, ser capaz de”. Refere-se fundamentalmente à faculdade, capacidade, recursos para produzir certos efeitos, segundo o filosofo inglês Bertrand Russell poder é a capacidade de fazer c

Questões de prova sobre Ética e Moral - Prova I - Com Gabarito

01) "Moral (mos, moris, "costume"): conjunto de normas livres e conscientemente adotadas que visam a organizar as relações das pessoas na sociedade, tendo em vista o bem e o mal; conjunto dos costumes e valores de uma sociedade, com caráter normativo (regras do comportamento das pessoas em grupo)". (ARANHA, Maria L. de Arruda. Filosofando: Introdução à filosofia. 3.ed. São Paulo: Moderna, 2003). Sobre a moral, é CORRETO afirmar que:  a) O estudo da moral deixa de ser uma questão de cunho filosófico passando a ser objeto de estudo da teologia. b) A moral não estabelece regras para a vivência em sociedade. c) A moral se reduz a um conjunto de normas, regras e valores que são adquiridas através da herança e recebidas pela tradição. d) Através da reflexão crítica, o sujeito tende a colocar a moral e os valores vigentes em questão, questionando-os e criticando-os. e) Todas as alternativas acima estão erradas 02) A teoria Ética de Kant e Stuart Mill