Pular para o conteúdo principal

Uma reflexão entre o mundo do fake news, o orgulho e o desafio de ensinar as regras da ABNT: Sobre o site Catraca Livre


Uma reflexão entre o mundo do fake news, o orgulho e o desafio de ensinar as regras da ABNT: Sobre o site Catraca Livre
por Tiago Lacerda

O texto que escrevo é uma reflexão sobre a importância de se produzir um trabalho acadêmico a partir das normas da ABNT. Eu sou professor universitário e exijo dos meus alunos trabalhos bem formatados e referenciados, e ainda escuto a cada entrega: "professor, qual a importância de colocar as referências ao final se o texto ou o autor foi citado no desenvolvimento?". Bom, esta pergunta já é suficiente para para eu saber que o aluno não diferencia uma citação de uma referência. Vamos lá! Citação é uma "menção de uma informação extraída de outra fonte" (NBR 10520, 2002, p. 1). Aos que possuem pouca intimidade com a ABNT podem se assustar com a sigla NBR (Norma Brasileira, aprovada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas), mas esta é a abreviação daquela e é como aparece nos documentos oficiais da ABNT seguida de seu número específico. Se eu mencionei uma informação que não é de minha autoria, o mínimo é citar a fonte colocando aspas no texto citado e a fórmula (SOBRENOME, DATA, PÁGINA), que possui algumas variações conforme o documento NBR 10520, 2002, p. 2. Quanto às referências, são um "conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite sua identificação individual" (NBR 6023, 2002, p. 2), não detalharei aqui os elementos da referência pois este não é o objetivo deste texto e isso pode ser pesquisado a partir do número do documento acima.
Então qual o objetivo do texto?
Se eu faço uma citação de um site, por exemplo, nas referências encontrarei o link que me remeterá ao texto para averiguação da citação utilizada. Poderei também saber mais detalhes do que o simples trecho apresentado na citação. Mas e se eu citar um site e depois o autor apagar? Passo por mentiroso, criativo (no sentido de inventar uma referência), ou despercebido, se o professor não procurou averiguar? Por isso é importante colocar as datas corretas. É sobre isso que quero falar.
No dia dois de abril de 2018 o site Catraca Livre publicou a seguinte notícia: "Professor viraliza com dicas para aplicar as regras da ABNT". Achei a notícia muito interessante, modesta parte, pois eu era o tal professor que postou, despretensiosamente em sua página do facebook, algumas imagens da UFPR para que seus alunos vissem e utilizassem. As imagens foram postadas e não modificadas, estavam com a fonte correta, conforme alguém da UFPR tinha elaborado. Isto foi na sexta-feira santa (30/03/18), no domingo me assustei com os números em minha página TG-DOXA, tinha quase três mil comentários e curtidas, mais de dois milhões de visualizações e mais de vinte mil compartilhamentos. Hoje este número é bem maior! Por isso o título da notícia do Catraca Livre.


Imaginem se alguém quisesse citar esta notícia, o que deveria fazer? Poderia mencionar o nome do redator que postou, o título da notícia, o nome do jornal etc. Mas se o aluno fizesse isso, não teria bons resultados, foi o que aconteceu comigo. Não era um fake news, era real, mas diante do sucesso de curtidas, e este é o mundo em que vivemos hoje, alguém a ideia de mudar o título da notícia. Pois quando eu cliquei no link, não era mais o professor que tinha viralizado, mas sim, a biblioteca! Não quero afirmar que seja orgulho ou outra coisa, mas de uma notícia verdadeira nascia um quase "fake news", disse quase porque ao trocar a palavra professor por biblioteca, tiveram que trocar também os números de curtidas e compartilhamentos que não ultrapassaram dez mil.


Mas alguém pode estar perguntado, o que isso tem a ver?
Se eu estiver falando de ABNT, tem muita coisa envolvida. Numa notícia que valoriza a utilização da fonte, há uma controvérsia ao mudar o texto. A viralização se deu pelo TG-DOXA, que já ultrapassou os três milhões de visualizações e vinte e cinco mil compartilhamentos, mas alguém "errou". Ou alguém solicitou créditos! Bom se alguém escreve um livro e não consegue publicidade e tempos depois, outra pessoa lendo o livro e anunciando-o na rede o faz estourar "de curtidas, vendas etc", o crédito da publicidade é de quem? O que não tira o crédito do autor do livro. E falando de referências, seu trabalho estaria errado, pois o título da notícia que anteriormente foi colocado, não existe mais!
Outro problema? Todos os que fizeram seu trabalho baseado no do colega sem atualizar o site, também seguiram o mesmo "erro", veja:

Fonte: Tem de Tudo

O site TEMDETUDO repostou e colocou os créditos, só que ele não compartilhou a notícia, mas a repostou o que fez que ficasse no "original", ou conforme a publicação anteriormente mudada.
Bom, não é fácil ser professor, mas é prazeroso quando acontece com a gente estes detalhes para mostrar ao aluno na prática as razões de citar e referenciar bem o seu trabalho para não passar vergonha.

Observação: Não entrei em contato com ninguém do site Catraca Livre para perguntar o que aconteceu, apenas decidi escrever este texto pois tenho material mais que concreto para continuar ensinando e motivando meus alunos sobre a importância de um trabalho bem organizado e referenciado.




REFERÊNCIAS DAS NORMAS DA ABNT CITADAS PARA CONSULTA:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: Informação e documentação - Citações em documentos - Apresentação. Rio de Janeiro, 2002.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Informação e documentação - Referências - Elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

Comentários

Popular Posts

Questões de prova sobre: As desigualdades sociais

01 - (UEL – 2003) Observe os quadrinhos: (QUINO. Toda Mafalda . São Paulo: Martins Fontes, 1992). Os quadrinhos ilustram uma forma comum de explicar a pobreza e as desigualdades sociais. Assinale a alternativa que apresenta pressupostos utilizados pela teoria liberal clássica para compreender a existência da pobreza e que foram também assumidos pela personagem Susanita em suas falas. a) As desigualdades sociais podem ser compreendidas através da análise das relações de dominação entre classes, que determinam o sucesso ou o fracasso dos indivíduos. b) A existência da pobreza pode ser compreendida a partir do estudo das relações de produção resultantes da exploração de uma classe sobre a outra. c) A divisão em classes sociais no capitalismo está baseada na liberdade de concorrência; assim, a pobreza decorre das qualidades e das escolhas individuais. d) O empobrecimento de alguns setores sociais no capitalismo decorre da apropriação

Questões de filosofia com gabarito

QUESTÕES DE FILOSOFIA – COM GABARITO   EPICURO 01) Alguns dos desejos são naturais e necessários; outros, naturais e não necessários; outros, nem naturais nem necessários, mas nascidos de vã opinião. Os desejos que não nos trazem dor se não satisfeitos não são necessários, mas o seu impulso pode ser facilmente desfeito, quando é difícil obter sua satisfação ou parecem geradores de dano.(EPICURO DE SAMOS. “Doutrinas principais”. In : SANSON, V. F. Textos de filosofia. Rio de Janeiro: Eduff, 1974). No fragmento da obra filosófica de Epicuro, o homem tem como fim:   a) Alcançar o prazer moderado e a felicidade. b) Valorizar os deveres e as obrigações sociais. c) Aceitar o sofrimento e o rigorismo da vida com resignação d) Refletir sobre os valores e as normas dadas pela divindade. 02) Leia o trecho da Carta a Meneceu:"Nenhum jovem deve demorar a filosofar, e nenhum velho deve parar de filosofar, pois nunca é cedo demais nem tarde demais para a saúde da alma. Afirmar que

01 - Mito e Filosofia (Questões com gabarito)

Quando pensamos na transição entre o mito e a filosofia salientamos que mesmo a filosofia nascente trazendo uma proposta mais racional em relação à toda explicação mítica, ela ainda apresentava "vínculos" com a antiga forma de conceber o universo, principalmente se tomamos como exemplo os jônios e todo o pensamento que busca na natureza e seus elementos aquilo que seria o princípio universal de todas as coisas. Enquanto o mito não se importava com as contradições e contos fabulosos, a filosofia organiza seu percurso através da lógica e do uso da razão. Mas não nos enganemos com essa simples colocação, pois há uma ruptura perceptível entre ambas. Enquanto o mito é envolto de crenças inquestionáveis, a filosofia nasce do próprio rechaço às explicações inquestionáveis e promove uma problematização de tudo. Ela rejeita o sobrenatural e a interferência dos deuses na explicação dos fenômenos naturais. Ela busca ao contrário do mito definir os conceitos e se organizar como um

Questões sobre Filosofia Estética com Gabarito

01) “Um quadro não é pensado ou fixado de antemão. Enquanto o produzimos ele segue a modalidade do pensamento. Depois de terminado ele continua a mudar, conforme o estado daquele que contempla. Um quadro segue sua vida como um ser vivo, sofre as mudanças que a vida cotidiana nos impõe. Isto é natural, já que um quadro só vive graças àquele que o contempla.”   Pablo Picasso. Este fragmento do pensamento de Pablo Picasso significa: a) O quadro é um ser vivo e é independente do artista, assume forma independente e é altamente abstrato em relação à realidade sensível. b) O quadro é apenas o resultado do pensamento do artista que expressa a sua imaginação em um pedaço qualquer de superfície que permita a expressão máxima do artista. c) Um quadro, por mais que tenha a intencionalidade de um artista por de trás de sua criação, sempre se manterá vivo mesmo que um artista já o tenha terminado. Isso só é possível porque quem o contempla terá sempre a chance de fazer uma nova interpr

Postagens mais visitadas deste blog

Questões sobre Filosofia Estética com Gabarito

01) “Um quadro não é pensado ou fixado de antemão. Enquanto o produzimos ele segue a modalidade do pensamento. Depois de terminado ele continua a mudar, conforme o estado daquele que contempla. Um quadro segue sua vida como um ser vivo, sofre as mudanças que a vida cotidiana nos impõe. Isto é natural, já que um quadro só vive graças àquele que o contempla.”   Pablo Picasso. Este fragmento do pensamento de Pablo Picasso significa: a) O quadro é um ser vivo e é independente do artista, assume forma independente e é altamente abstrato em relação à realidade sensível. b) O quadro é apenas o resultado do pensamento do artista que expressa a sua imaginação em um pedaço qualquer de superfície que permita a expressão máxima do artista. c) Um quadro, por mais que tenha a intencionalidade de um artista por de trás de sua criação, sempre se manterá vivo mesmo que um artista já o tenha terminado. Isso só é possível porque quem o contempla terá sempre a chance de fazer uma nova interpr

Questões sobre Filosofia Política

Questões sobre Filosofia Política Livro: Fundamentos de Filosofia (Gilberto Cotrim) 1) Sintetize e compare os conceitos antigo e moderno de política. Resposta: Na concepção clássica grega o conceito de política refere-se à arte de governar a polis, ligada ao bem comum e à ética. Enquanto que na modernidade, o conceito passou a ser estritamente ligado ao poder, ou seja, a métodos de se conseguir algo. Sendo assim, a questão ética , que está implícita na ideia de bem comum é colocada em segundo plano ou totalmente abandonada. 2) Poder é a posse dos meios que levam à produção de efeitos desejados. Explique essa afirmação. Resposta: A afirmação quer dizer que “poder” é a capacidade de alcançar algum objetivo, utilizando artifícios como os econômicos. Poder vem do latim potere, posse “poder, ser capaz de”. Refere-se fundamentalmente à faculdade, capacidade, recursos para produzir certos efeitos, segundo o filosofo inglês Bertrand Russell poder é a capacidade de fazer c

Questões de prova sobre Ética e Moral - Prova I - Com Gabarito

01) "Moral (mos, moris, "costume"): conjunto de normas livres e conscientemente adotadas que visam a organizar as relações das pessoas na sociedade, tendo em vista o bem e o mal; conjunto dos costumes e valores de uma sociedade, com caráter normativo (regras do comportamento das pessoas em grupo)". (ARANHA, Maria L. de Arruda. Filosofando: Introdução à filosofia. 3.ed. São Paulo: Moderna, 2003). Sobre a moral, é CORRETO afirmar que:  a) O estudo da moral deixa de ser uma questão de cunho filosófico passando a ser objeto de estudo da teologia. b) A moral não estabelece regras para a vivência em sociedade. c) A moral se reduz a um conjunto de normas, regras e valores que são adquiridas através da herança e recebidas pela tradição. d) Através da reflexão crítica, o sujeito tende a colocar a moral e os valores vigentes em questão, questionando-os e criticando-os. e) Todas as alternativas acima estão erradas 02) A teoria Ética de Kant e Stuart Mill