Pular para o conteúdo principal

Professor, como é a sua aula?

Professor, como é a sua aula?
Prof. Tiago Lacerda

É comum ouvir de alguns colegas, amigos ou até mesmo familiares, que a vida do professor é muito simples, ainda mais se o professor “só dá aulas”, vive somente disso. No imaginário do senso comum é só preparar uma aula e passar este conteúdo em sala, simples assim! Mas a vida real desta profissão não é bem assim que acontece. “Dar uma aula” não é apenas chegar em sala e expor o conteúdo, a aula vai muito além disso. E antes que eu me esqueça, não é por usar o verbo “dar” para entender que estamos lecionando que não gostamos de dinheiro. Vendemos nossas aulas como todas as profissões “vendem” o seu produto. Mas não podemos confundir “vendemos uma aula” com “nos vendemos numa aula”. Porque para alguns, tanto faz, se a aula foi boa ou não, o importante é o pacto de mediocridade: eu estou cansado então finjo trabalhar, enquanto eles fingem aprender.
Mas voltando ao ofício... nos bastidores da vida do professor há uma sequência de atividades que muitas vezes não são valorizadas, sequer conhecidas: preparar as aulas (isso já requer muita leitura e estudo, mesmo quando o professor já domina o assunto), elaborar as atividades e provas, pensar na didática específica para cada turma, escola ou nível de formação, e se até aqui você já achou bastante coisa, saiba que não é nem a metade do trabalho que será desenvolvido (não estou reclamando, apenas apontando alguns fatos). É preciso corrigir estas atividades e provas, verificar onde os alunos estão com mais dificuldades e retomar o conteúdo com novas abordagens para proporcioná-los uma nova chance de aprendizagem e muitas vezes isso pode não bastar, o que desanima muitos professores.
Ah, me desculpe, eu quase ia me esquecendo de dizer que estou me referindo a um bom professor que tem vocação para esta profissão e a desenvolve com entusiasmo mesmo diante da conjuntura atual, pode acreditar, além de dar aulas, também acompanhamos o que acontece no Brasil e no mundo. Agora, sim. Posso continuar...
Outra coisa que escuto muito entre os professores é: “quanto tempo você tem de sala de aula?”. De repente, se o professor tem menos de 10 anos de sala de aula ele vai ouvir de alguns colegas: “ahh, você é novo ainda, quero ver daqui uns anos se você terá esta disponibilidade toda...”. Convenhamos, é desanimador! Mas quando eu me propus escrever este pequeno texto, meu foco não era para estes professores desanimadores, mas sim, para aqueles que têm na profissão uma verdadeira vocação. E para aqueles que aspiram esta profissão, para que saibam que há professores e professores! Porque não é verdade que com os anos o desânimo toma conta e naturalmente o professor vai ficando relaxado. Não é verdade porque conheço e tive excelentes professores (não foram poucos e de alguns sou amigo até hoje) que mesmo próximos da aposentadoria me apresentaram determinação e uma alegria própria daqueles que fazem o que amam (vida profissional com leveza). Eu poderia te convidar para a seguinte reflexão: como é a sua aula? E enquanto você pensa nisso, não podemos nos esquivar das questões que perpassa pela profissão que é a má valorização pelo Estado, os baixos salários etc. Isso é algo real, mas não é o preponderante para que uma pessoa deixe de fazer o seu melhor.
E no mais, não há recompensa maior que ver o fruto de seu trabalho ser valorizado e reconhecido, mesmo que muito tempo depois, pelos alunos que em suas profissões recordam que tiveram alguns, na etapa formativa, que lhes deixaram marcas, deixaram pensamentos (presentes caros). Então, eu termino reforçando que, não é apenas uma aula, ou como alguns gostam de dizem, uma aulinha. E se não é apenas uma aula é o que então, professor? Isso só a sua consciência (e seus alunos, que não são tão bobos assim) que poderá dizer.



Comentários

Popular Posts

Questões de filosofia com gabarito

QUESTÕES DE FILOSOFIA – COM GABARITO   EPICURO 01) Alguns dos desejos são naturais e necessários; outros, naturais e não necessários; outros, nem naturais nem necessários, mas nascidos de vã opinião. Os desejos que não nos trazem dor se não satisfeitos não são necessários, mas o seu impulso pode ser facilmente desfeito, quando é difícil obter sua satisfação ou parecem geradores de dano.(EPICURO DE SAMOS. “Doutrinas principais”. In : SANSON, V. F. Textos de filosofia. Rio de Janeiro: Eduff, 1974). No fragmento da obra filosófica de Epicuro, o homem tem como fim:   a) Alcançar o prazer moderado e a felicidade. b) Valorizar os deveres e as obrigações sociais. c) Aceitar o sofrimento e o rigorismo da vida com resignação d) Refletir sobre os valores e as normas dadas pela divindade. 02) Leia o trecho da Carta a Meneceu:"Nenhum jovem deve demorar a filosofar, e nenhum velho deve parar de filosofar, pois nunca é cedo demais nem tarde demais para a saúde da alma. Afirmar que

Questões de prova sobre Ética e Moral - Prova I - Com Gabarito

01) "Moral (mos, moris, "costume"): conjunto de normas livres e conscientemente adotadas que visam a organizar as relações das pessoas na sociedade, tendo em vista o bem e o mal; conjunto dos costumes e valores de uma sociedade, com caráter normativo (regras do comportamento das pessoas em grupo)". (ARANHA, Maria L. de Arruda. Filosofando: Introdução à filosofia. 3.ed. São Paulo: Moderna, 2003). Sobre a moral, é CORRETO afirmar que:  a) O estudo da moral deixa de ser uma questão de cunho filosófico passando a ser objeto de estudo da teologia. b) A moral não estabelece regras para a vivência em sociedade. c) A moral se reduz a um conjunto de normas, regras e valores que são adquiridas através da herança e recebidas pela tradição. d) Através da reflexão crítica, o sujeito tende a colocar a moral e os valores vigentes em questão, questionando-os e criticando-os. e) Todas as alternativas acima estão erradas 02) A teoria Ética de Kant e Stuart Mill

Questões sobre Filosofia Política

Questões sobre Filosofia Política Livro: Fundamentos de Filosofia (Gilberto Cotrim) 1) Sintetize e compare os conceitos antigo e moderno de política. Resposta: Na concepção clássica grega o conceito de política refere-se à arte de governar a polis, ligada ao bem comum e à ética. Enquanto que na modernidade, o conceito passou a ser estritamente ligado ao poder, ou seja, a métodos de se conseguir algo. Sendo assim, a questão ética , que está implícita na ideia de bem comum é colocada em segundo plano ou totalmente abandonada. 2) Poder é a posse dos meios que levam à produção de efeitos desejados. Explique essa afirmação. Resposta: A afirmação quer dizer que “poder” é a capacidade de alcançar algum objetivo, utilizando artifícios como os econômicos. Poder vem do latim potere, posse “poder, ser capaz de”. Refere-se fundamentalmente à faculdade, capacidade, recursos para produzir certos efeitos, segundo o filosofo inglês Bertrand Russell poder é a capacidade de fazer c

01 - Mito e Filosofia (Questões com gabarito)

Quando pensamos na transição entre o mito e a filosofia salientamos que mesmo a filosofia nascente trazendo uma proposta mais racional em relação à toda explicação mítica, ela ainda apresentava "vínculos" com a antiga forma de conceber o universo, principalmente se tomamos como exemplo os jônios e todo o pensamento que busca na natureza e seus elementos aquilo que seria o princípio universal de todas as coisas. Enquanto o mito não se importava com as contradições e contos fabulosos, a filosofia organiza seu percurso através da lógica e do uso da razão. Mas não nos enganemos com essa simples colocação, pois há uma ruptura perceptível entre ambas. Enquanto o mito é envolto de crenças inquestionáveis, a filosofia nasce do próprio rechaço às explicações inquestionáveis e promove uma problematização de tudo. Ela rejeita o sobrenatural e a interferência dos deuses na explicação dos fenômenos naturais. Ela busca ao contrário do mito definir os conceitos e se organizar como um

Postagens mais visitadas deste blog

Questões sobre Filosofia Estética com Gabarito

01) “Um quadro não é pensado ou fixado de antemão. Enquanto o produzimos ele segue a modalidade do pensamento. Depois de terminado ele continua a mudar, conforme o estado daquele que contempla. Um quadro segue sua vida como um ser vivo, sofre as mudanças que a vida cotidiana nos impõe. Isto é natural, já que um quadro só vive graças àquele que o contempla.”   Pablo Picasso. Este fragmento do pensamento de Pablo Picasso significa: a) O quadro é um ser vivo e é independente do artista, assume forma independente e é altamente abstrato em relação à realidade sensível. b) O quadro é apenas o resultado do pensamento do artista que expressa a sua imaginação em um pedaço qualquer de superfície que permita a expressão máxima do artista. c) Um quadro, por mais que tenha a intencionalidade de um artista por de trás de sua criação, sempre se manterá vivo mesmo que um artista já o tenha terminado. Isso só é possível porque quem o contempla terá sempre a chance de fazer uma nova interpr

Questões sobre Filosofia Política

Questões sobre Filosofia Política Livro: Fundamentos de Filosofia (Gilberto Cotrim) 1) Sintetize e compare os conceitos antigo e moderno de política. Resposta: Na concepção clássica grega o conceito de política refere-se à arte de governar a polis, ligada ao bem comum e à ética. Enquanto que na modernidade, o conceito passou a ser estritamente ligado ao poder, ou seja, a métodos de se conseguir algo. Sendo assim, a questão ética , que está implícita na ideia de bem comum é colocada em segundo plano ou totalmente abandonada. 2) Poder é a posse dos meios que levam à produção de efeitos desejados. Explique essa afirmação. Resposta: A afirmação quer dizer que “poder” é a capacidade de alcançar algum objetivo, utilizando artifícios como os econômicos. Poder vem do latim potere, posse “poder, ser capaz de”. Refere-se fundamentalmente à faculdade, capacidade, recursos para produzir certos efeitos, segundo o filosofo inglês Bertrand Russell poder é a capacidade de fazer c

Questões de prova sobre Ética e Moral - Prova I - Com Gabarito

01) "Moral (mos, moris, "costume"): conjunto de normas livres e conscientemente adotadas que visam a organizar as relações das pessoas na sociedade, tendo em vista o bem e o mal; conjunto dos costumes e valores de uma sociedade, com caráter normativo (regras do comportamento das pessoas em grupo)". (ARANHA, Maria L. de Arruda. Filosofando: Introdução à filosofia. 3.ed. São Paulo: Moderna, 2003). Sobre a moral, é CORRETO afirmar que:  a) O estudo da moral deixa de ser uma questão de cunho filosófico passando a ser objeto de estudo da teologia. b) A moral não estabelece regras para a vivência em sociedade. c) A moral se reduz a um conjunto de normas, regras e valores que são adquiridas através da herança e recebidas pela tradição. d) Através da reflexão crítica, o sujeito tende a colocar a moral e os valores vigentes em questão, questionando-os e criticando-os. e) Todas as alternativas acima estão erradas 02) A teoria Ética de Kant e Stuart Mill